Meu celular está me espionando?

Meu celular está me espionando?

Recentemente tivemos uma conversa aqui na SPHINX Brasil sobre como é estranho quando falamos algo sobre algum produto ou serviço totalmente aleatório e, em seguida, viramos alvo de anúncios correlatos – imediatamente pensamos: “nossos celulares nos escutam, todo o tempo!”.

Pois recentemente vimos um artigo justamente sobre esse assunto e como a indústria de anúncios está se beneficiando da coleta de dados e como, com astúcia e inteligência artificial, isto está ficando cada vez mais direcionado e personalizado – adiantamos que, segundo a reportagem, nossos celulares não nos escutam em busca de interesses.

Na verdade nossos aparelhos são ferramentas poderosas que captam diferentes dados, por diferentes motivos (segurança, serviços, atualização de sistema, entre outras funcionalidades) e isto tudo, esses dados secundários (que são coletados com anuência – contratos que aceitamos ao instalar os aplicativos), são cruzados com outros dados semelhantes para obter padrões e com isto gerar anúncios de produtos que se encaixam nesses perfis.

Quase como uma análise de cluster, nossos dados são agrupados conforme interesses (alguns perenes, outros temporários) e isto acaba sendo uma fonte de consulta para os anunciantes, os quais possuem produtos com tags específicas para esses grupos. Ou seja, um grande processamento de dados, em curto espaço de tempo, que permite um nível muito grande de personalização de anúncios em redes sociais e sites de procura (como o Google). Quando nós recebemos algum anúncio de algo que conversamos com alguém, o telefone não captura o áudio da conversa mas, como ele pode identificar que você esteve próximo de uma pessoa por um certo tempo, é capaz de deduzir que existe alguma amizade entre vocês e, caso seu amigo procura regularmente por algum tema de interesse, esse tema pode interessar a você também.

Essas análises estatísticas são muito ricas e podem também ter uso dentro de outros contextos de pesquisa, para buscar padrões de comportamento em ambientes corporativos, para personalizar ações em mercados de atuação de uma organização, para compreender e prever sazonalidades.

Claro, o tema em si gera polêmica e nos faz refletir sobre como nossos dados estão sendo compartilhados, o quão valioso eles são para essa transformação digital e, como cita o artigo, como isso vai ainda ser revolucionado com o avanço da inteligência artificial e a automatização.

O profissional da área de dados e computação estão em alta e são muito desejados dentro desse contexto!

Fonte:
https://lifehacker.com/what-people-are-getting-wrong-this-week-phone-surveill-1850658089

Veja também

No data was found